Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1326
Título: Resposta funcional e aspectos biológicos de Ceraeochrysa everes (Banks) (Neuroptera: Chrysopidae) à Maconellicoccus hirsutus (Green) (Hemiptera: Pseudococcidae)
Autor(es): Santos, Anne Caroline Bezerra dos
Palavras-chave: Controle biológico
Crisopídeo
Praga invasora
Data do documento: 16-Out-2020
Editor: UEMA
Resumo: Maconellicoccus hirsutus, é uma praga introduzida que ameaça a produção de frutas, olerícolas e plantas ornamentais no Brasil. Entre os inimigos naturais, os insetos predadores da família Chrysopidae têm se destacado em Programas de Manejo Integrado de Pragas (MIP), devido seu potencial como predadores de populações de artrópodes fitófagos. Um dos crisopídeos nativos associados a M. hirsutus é Ceraeochrysa everes, que geralmente ocorre em abundância em diversos cultivos onde M. hirsutus se faz presente no Maranhão. Deste modo, objetivou-se avaliar o potencial de predação de C. everes (3º instar larval) em diferentes estádios de desenvolvimento de M. hirsutus por meio da realização de bioensaios de resposta funcional e estudar alguns aspectos biológicos desse predador. Foram feitas dez repetições para cada densidade da M. hirsutus oferecida ao predador, e o tipo de curva da resposta funcional foi determinado, por meio de regressão logística, da proporção de presas consumidas em função das densidades de presas oferecidas. A análise de regressão logística revelou uma resposta funcional tipo II ao se alimentar de ovos e ninfas (1º e 2º instares) de M. hirsutus. Foram avaliados comparativamente alguns parâmetros biológicos da história de vida de C. everes sobre influência de dois diferentes regimes alimentares (ninfas de 2º instar de M. hirsutus e ovos de Anagasta kuehniella). Larvas de primeiro, segundo e terceiro instares de C. everes foram confinadas com ninfas de segundo instar de M. hirsutus para avaliar o tempo de desenvolvimento de estádios imaturos, razão sexual, período de pré-oviposição, oviposição, pós-oviposição, incidência de oviposição, viabilidade de ovos, fecundidade (total e diária), fertilidade e longevidade de adultos do predador. Um tratamento adicional constituído por ovos de A. kuehniella foi ofertado aos instares larvais de C. everes como controle. A duração das fases larvais de C. everes foi maior quando o predador foi alimentado com ninfas de 2° instar de M. hirsutus em comparação ao tratamento controle. Apesar dos efeitos diferenciados dos tratamentos na biologia de imaturos de C. everes, foi observado uma taxa de sobrevivência de 82,5 e 100% quando ofertados ninfas de 2º instares de M. hirsutus e ovos de A. kuehniella, respectivamente. Conclui-se que C. everes tem um grande potencial para reduzir populações de M. hirsutus, e C. everes consegue predar, se desenvolver e reproduzir tendo como recurso alimentar ninfas de segundo instar de M. hirsutus, portanto, esse predador pode ser considerado um bom agente de controle biológico de populações dessa cochonilha exótica
Descrição: 84 f. Dissertação (Mestrado em Agroecologia) - Universidade Estadual do Maranhão,São Luís,2020. Orientadora: Profa. Dra. Raimunda Nonata Santos de Lemos
URI: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1326
Aparece nas coleções:MESTRADO EM AGROECOLOGIA

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SANTOS, A.C.B. 2020.Dissertação.pdf709.18 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.