Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1323
Título: Efeitos da densidade de plantas no teor e conteúdo de nutrientes em feijão-mungo-verde
Autor(es): Silva, Lincon Matheus Araújo
Palavras-chave: Vigna radiata (L.)
Absorção
Biomassa
Acúmulo de nutrientes
Data do documento: 12-Fev-2020
Editor: UEMA
Resumo: O manejo da densidade de plantas é uma prática que pode tanto incrementar o conteúdo de nutrientes quanto aumentar a produção de biomassa seca pela cultura, principalmente para o feijão-mungo-verde que é de fácil adaptação e pouco cultivada por agricultores do Maranhão. Nossa hipótese é que a densidade de plantas de feijão-mungo-verde aumenta o teor e o conteúdo de nutrientes, bem como a massa da planta seca. Nesse sentido, objetivou-se avaliar os efeitos da densidade de plantas de feijão-mungo-verde no teor e conteúdo de nutrientes da parte aérea e na produção de biomassa seca pela cultura. O experimento foi conduzido em campo, no ano de 2018. Os tratamentos foram arranjados no esquema fatorial 4 x 2 + 1: quatro densidades de plantio (8, 12, 16 ou 20 plantas/m) e dois espaçamentos entre fileiras (30 ou 45 cm), e um tratamento adicional (45 cm entre fileiras e 12 plantas/m + Zn). Ainda, nesse experimento o tratamento adicional recebeu 5 kg ha-1 de Zn no sulco de plantio, e aos 30 dias após o plantio foi aplicado 8 kg ha-1 de Zn. Foi usado o delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. Na maturação foram feitas as seguintes determinações: massa da parte aérea seca, teor e conteúdo de nutrientes na parte aérea das plantas. A densidade de 20 plantas/m aumentou em 48,8% o teor de Zn em relação à densidade de 8 plantas/m. No espaçamento de 30 cm entre fileiras, a densidade de 16 plantas/m aumentou o conteúdo de Zn em 31,5%, em relação à densidade de 20 plantas/m. No espaçamento de 45 cm entre fileiras, a densidade de plantas/m não influenciou o conteúdo de Zn. No espaçamento de 30 cm entre fileiras, a densidade de 8 plantas/m aumentou em 67% a massa da parte aérea seca em relação à densidade de 20 plantas/m. De maneira geral, com o espaçamento de 30 cm entre fileiras, a densidade de 8 plantas/m resultou em maior acúmulo de massa seca, N, P, K, Mg, S, Fe, Cu, Mo, B, Ni e Co e absorção de P e Mo na parte aérea das plantas de feijão-mungo-verde
Descrição: 59 f. Dissertação (Mestrado em Agroecologia) - Universidade Estadual do Maranhão,São Luís,2020. Orientador: Prof. Dr. Heder Braun
URI: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1323
Aparece nas coleções:MESTRADO EM AGROECOLOGIA

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação-versão-final-LINCON-06.03.2020.pdf606.55 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.