Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1322
Título: Efeitos da densidade de plantas no desempenho do feijão-mungo-verde e nos teores de zinco e ferro dos grãos
Autor(es): Castro, Karen Alessandra Sousa
Palavras-chave: Vigna radiata L
Espaçamento entre fileiras
Absorção de Fe e Zn
Data do documento: 12-Fev-2020
Editor: UEMA
Resumo: As leguminosas, mais especificamente os feijões, podem ser alternativas para os agricultores familiares do Maranhão, como a cultura do feijão-mungo-verde (Vigna radiata L.). Nesse estado, os agricultores familiares não conhecem essa cultura. Logo, para a introdução dessa nova espécie de leguminosa no Maranhão é necessário obter informações agronômicas básicas, como arranjo e população de plantas no campo para maximizar a produtividade e o incremento de ferro (Fe) e zinco (Zn) nos grãos, nutrientes geralmente deficiente em nossa alimentação. Nossa hipótese é que densidade de plantas adequada maximiza a produtividade e aumenta os teores de Fe e Zn nos grãos do feijão-mungo-verde. Nosso objetivo foi determinar os efeitos da densidade de plantas de feijão-mungo-verde no desempenho do feijão-mungoverde e no incremento dos teores de Fe e Zn nos grãos. Foram conduzidos dois experimentos em campo, um em 2018 e outro em 2019. Os tratamentos foram arranjados no esquema fatorial [(4 x 2) + 1]: densidades de plantio (8, 12, 16 ou 20 plantas/m), espaçamentos entre fileiras (30 ou 45 cm) e tratamento adicional (45 cm entre fileiras, 12 plantas/m + Zn aplicado no sulco de plantio e na folhagem). Nesse tratamento adicional, aos 30 dias após o plantio, foi aplicado, 8 kg ha-1 de Zn no primeiro experimento e 4 kg ha-1 de Zn no segundo. Foi usado o delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. Foi utilizado a cultivar Camaleão. Com 30 cm entre fileiras, a densidade de 8 plantas/m aumentou a produtividade em 35%-87%, em relação à densidade de 20 plantas/m. Com 45 cm entre fileiras, a densidade de 20 plantas/m aumentou a produtividade em 77%, em relação à densidade de 8 plantas/m. Com 30 cm entre fileiras, a densidade de 8 plantas/m aumentou o teor de Zn no grão em 8% e o teor de Fe no grão em 39%, em relação à densidade de 20 plantas/m. Com 45 cm entre fileiras, a densidade de 20 plantas/m aumentou o teor de Zn no grão em 12,6% e o teor de Fe no grão em 17%, em relação à densidade de 8 plantas/m. Nossos resultados sugerem que o espaçamento de 30 cm entre fileiras, com as densidades de 8-12 plantas/m; ou o espaçamento de 45 cm entre fileiras, com as densidades de 16-20 plantas/m aumentam a produtividade e o teor de Zn no grão do feijão-mungo-verde. Densidades de 8-12 plantas/m aumenta o teor de Fe no grão, independente do espaçamento entre fileiras
Descrição: 58 f. Dissertação (Mestrado em Agroecologia) - Universidade Estadual do Maranhão,São Luís,2020. Orientador: Prof. Dr. Rogério Faria Vieira
URI: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1322
Aparece nas coleções:MESTRADO EM AGROECOLOGIA

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação-Final-Karen1.pdf664.73 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.