Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1228
Título: Composição florística e estudo fitossociológico de plantas espontâneas e produção do arroz em cobertura morta de palha de babaçu
Autor(es): Alves, Givago Lopes
Palavras-chave: Oryza sativa L.
Cobertura morta
Vegetação espontânea
Data do documento: 2018
Editor: UEMA
Resumo: Objetivou-se analisar os efeitos da cobertura de folhas de babaçu trituradas sobre a vegetação espontânea no cultivo de duas cultivares de arroz no município de Arari-MA. O experimento foi conduzido nos anos agrícolas 2016/2017 em delineamento de blocos ao acaso, em esquema fatorial com quatro repetições. Os tratamentos foram distribuídos em dois níveis para o fator cultivar (Comecru e Cambará) e quatro níveis para o fator palha de babaçu (0 t ha -1 , isto é, sem palha e ausência de controle das plantas espontâneas por capina, 15, 20, 25 t ha-1 ), mais duas testemunhas adicionais com controle das plantas espontâneas nas parcelas das cultivares Comecru e Cambará. O levantamento das plantas espontâneas foi realizado por meio de um retângulo metálico de 0,5 m x 0,3 m lançado quatro vezes, aleatoriamente nas parcelas durante sete avaliações (20, 30, 40, 50, 60, 70 e 110 dias após a emergência da cultura). As plantas foram separadas por espécie, identificadas e secas em estufa de 65-70°C para obtenção da matéria seca. Os índices fitossociológicos obtidos foram: densidade relativa, frequência relativa, dominância relativa e o índice de valor de importância. Na cv Comecru em presença de palha de babaçu foram identificadas 23 espécies de plantas espontâneas distribuídas em 14 famílias botânicas, três do grupo das monocotiledôneas e 11 das eudicotiledôneas; para cultivar Cambará foram 17 espécies em 12 famílias das quais, três famílias do grupo das monocotiledôneas e nove das eudicotiledôneas. A família com maior riqueza de espécies nas cultivares de arroz foi Cyperaceae com quatro representantes. A espécie espontânea com maior importância nas cultivares dos 20 aos 70 DAE em todas as quantidade de palha foi Cyperus iria com valores acima de 100%; Na colheita, aos 110 DAE na cv Comecru em 15, 20 e 25 t ha-1 de palha Cyperus iria apresentou IVI de 32,78%, 52,83% e 31,46%, respectivamente. Na cv Cambará, o IVI dessa espécie foi de 62,40%, 56,00% e 120,93% para essas quantidades de palha. As maiores produtividades das cultivares foram obtidas em 25 t ha-1 de palha, 953,91 kg ha-1 para cv Comecru e 339,53 kg ha-1 para cv Cambará. A presença da palha e as cultivares influenciam a composição florística da vegetação espontânea na cultura do arroz, principalmente na maior quantidade de palha (25 t ha-1 ) e na cultivar tradicional, Comecru. O grupo botânico das monocotiledôneas predomina em todas as quantidades de palha usada cuja família de maior importância é Cyperaceae. A 12 espécie de maior índice de valor de importância nas duas cultivares é C. iria seguida por A. tenella e F. dicothoma. Em 25 t ha-1 de palha de babaçu ocorre maior supressão de plantas espontâneas e produtividade das cultivares. As características agronômicas da cv de arroz Comecru favorecem seu potencial competitivo com as plantas espontâneas que reflete em maior produtividade.
Descrição: Dissertação (Mestrado em Agroecologia) - Universidade Estadual do Maranhão,São Luís,2018. Orientador: Profa. Dra. Maria Rosângela Malheiros Silva.
URI: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1228
Aparece nas coleções:MESTRADO EM AGROECOLOGIA

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação-Givago-Alves.pdf1.99 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.