Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/726
Título: Dinâmica populacional e variabilidade genética da mosca branca Bemisia tabaci (Gennadius, 1889) biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae) em cultivos olerícolas em São Luís – MA
Autor(es): Silva, Maria Cleoneide
Palavras-chave: Bemisia tabaci
Flutuação populacional
Marcadores moleculares
RAPD
Plantas olerícolas
Data do documento: 23-Nov-2006
Editor: UEMA
Resumo: A mosca branca Bemisia tabaci (Gennadius, 1889) é uma importante praga da produção agrícola mundial. A dinâmica populacional e a variabilidade genética são conhecimentos indispensáveis como princípio do manejo integrado dessa praga. No Maranhão não existe trabalhos sobre a variabilidade genética das populações desse inseto. O presente trabalho teve como objetivos avaliar a dinâmica populacional de Bemisia tabaci biótipo B durante dois ciclos fenológicos das culturas quiabo, feijão e pepino e caracterizar por análise molecular, com marcadores RAPD, populações de mosca branca coletadas nas culturas de quiabo, feijão e pimentão em três pólos de produção do município de São Luís - MA. Para a amostragem do estudo da dinâmica populacional utilizou-se 10% da área de cada cultura, onde coletou-se folhas dos estratos apical, mediano e basal para a contagem dos estádios imaturos, quinzenalmente. As armadilhas, para a contagem dos adultos, foram colocadas em quantidades proporcionais para cada 300m2 no interior das áreas cultivadas, sendo analisadas a cada quinze dias. Para a determinação da distribuição vertical das ninfas nas culturas estudadas, determinou-se um índice de ninfas/folha, para cada estrato da planta e para cada um dos quatros ínstares. Os índices obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade, utilizou-se para isso, o programa Estat v.2. Para a comparação da variação da densidade média de cada estádio ninfal nos 2 ciclos fenológicos, utilizou-se o teste T ao nível de 5% de probabilidade. Com relação à flutuação populacional dos adultos comparou-se com a média quinzenal da temperatura e precipitação. Para a caracterização molecular analisou-se, utilizando a técnica de RAPD e 12 primers, fêmeas de mosca branca de nove populações, coletadas em culturas de quiabo, feijão e pimentão e comparadas com xii o biótipo B de B. tabaci proveniente da Embrapa (Brasília-DF). Utilizando o programa STATISTIC versão 6.0, construiu-se um dendrograma com os 96 marcadores moleculares RAPD produzidos. De acordo com os resultados obtidos, concluiu-se que a distribuição vertical das ninfas da mosca branca ocorre de forma bastante linear, havendo predominância das ninfas de primeiro ínstar nas folhas mais jovens e dos outros estádios nos terços inferiores da planta. Foi observado que durante o ciclo fenológico I, houve menor incidência de ninfas e de adultos quando comparado com o ciclo fenológico II, período onde foram constatados os menores índices pluviométricos. Os primers produziram padrões bandas específicas, que permitiram confirmar que as espécimes avaliadas pertencem ao grupo do biótipo B de B. tabaci. As populações da cultura do quiabo, do feijão e do pimentão apresentaram uma similaridade genética a partir de 80%, 76% e 45%, respectivamente, quando comparadas ao biótipo B. Os resultados também mostraram que ocorreu menor pressão seletiva com a população de mosca branca coletada na cultura do pimentão e menor variabilidade genética com as populações de mosca branca coletadas nas culturas do quiabo e feijão.
Descrição: 92 f.Dissertação (Mestrado em Agroecologia) – Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, 2007.Orientador: Profa. Dra. Raimunda Nonata Santos de Lemos.
URI: http://repositorio.uema.br/handle/123456789/726
Aparece nas coleções:MESTRADO EM AGROECOLOGIA

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
maria cleoneide da silva.pdf953.85 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.