Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1806
Título: Sanidade em pisciculturas em Tutóia - Maranhão: avaliação da qualidade da água, alterações branquiais e identificação de espécies fúngicas em peixes
Autor(es): Sousa, Rebeca Ramos
Palavras-chave: Micologia
Biopatologia
Microbiologia
Aquicultura
Data do documento: 2022
Editor: UEMA
Resumo: Neste estudo objetivou-se avaliar a sanidade em pisciculturas através da qualidade da água, alterações branquiais e identificação de espécies fúngicas em peixes cultivados no Maranhão. Foram coletadas amostras de água, 26 peixes para a caracterização das patologias fúngicas em duas pisciculturas (P1 e P2) e 10 peixes para análise das brânquias em uma piscicultura (P1). Os produtores foram entrevistados a partir de um questionário semiestruturado para investigar sobre o manejo e a sanidade dos peixes. Foram também verificados nas pisciculturas por meio do equipamento multiparâmetro: potencial hidrogeniônico (pH), temperatura (ºC), oxigênio dissolvido (mg/l-1) e condutividade (uS/cm). A amônia e o nitrito foram aferidos pelo kit de análise de água (LabconTest). O parâmetro transparência (cm) foi realizado pelo Disco de Secchi. As análises microbiológicas da água para determinação do Número Mais Provável (NMP) de coliformes totais e Escherichia coli foram realizadas com a utilização do método Colilert®. As brânquias dos peixes foram retiradas para análise de lesões histológicas e isolamento fúngico. O arco branquial direito de cada peixe foi removido e fixado em formalina a 10% por 24 a 48 horas, descalcificados em ácido nítrico a 10% e submetidos ao processamento histológico de desidratação, diafanização, impregnação e inclusão em parafina. Os blocos foram cortados em micrótomo (5µm) e os cortes corados com hematoxilina e eosina. As lâminas foram analisadas em microscópio de luz Zeiss. O isolamento fúngico das amostras de brânquias e peles dos peixes foi feito em meio de cultivo BDA (batata-dextrose-ágar) acrescido de clorafenicol. As alterações histológicas foram avaliadas por meio do cálculo do Índice de Alteração Histológica (IAH). Quanto aos resultados obtidos verificou-se valores de temperatura e pH considerados dentro dos padrões recomendados. O oxigênio dissolvido verificado pode ser um fator de estresse para o peixe, porque foi abaixo do recomendado. Já a condutividade foi elevada, o que pode sugerir poluição na água. O nitrito ficou acima do recomendado. Foi verificada a presença de coliformes totais, na água. A presença da bactéria E. coli foi verificada próximo do valor de referência, indicando possível contaminação fecal da água do viveiro pela criação de animais de pasto próximo do local. Os gêneros fúngicos isolados foram Aspergillus sp., Penicillium sp. e Rhizopus sp., fungos produtores de micotoxinas, principalmente na pele. Nas análises da histológicas foram verificadas lesões branquiais do estágio I, II e III em ambas as coletas, indicando alterações moderadas do órgão
Descrição: 100 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Conservação da Biodiversidade) - Universidade Estadual do Maranhão, São Luís,2022. Orientadora: Profa. Dra. Ilka Márcia Ribeiro Serra
URI: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1806
Aparece nas coleções:Mestrado em Ecologia e Conservação da Biodiversidade - CECEN - Dissertações

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Rebeca Ramos Sousa_1 - PDF-A.pdf2.74 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.