Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1470
Título: Regulação da explosão oxidativa, qualidade fisiológica de mamões e efeito in vitro do extrato da alga marinha Ascophyllum nodosum sobre o fungo Colletotrichum sp.
Autor(es): Dias, Larisse Raquel Carvalho
Palavras-chave: Colletotrichum sp
Carica papaya
Controle alternativo.
Data do documento: 25-Jan-2019
Editor: UEMA
Resumo: O mamoeiro (Carica papaya), pertence à família Caricaceae, produz durante o ano todo, mantendo a geração de emprego e renda continuadamente, ressaltando sua importância social. Porém, os problemas fitossanitários afetam negativamente a produtividade. Na pós-colheita, a antracnose causada por espécies do gênero Colletotrichum, se destaca como uma das doenças mais importantes para a cultura. Objetivando estabelecer um método de controle natural como alternativa de manejo agroecológico da doença, foi avaliado o efeito indutor de resistência do extrato da alga marinha Ascophyllum nodosum, em diferentes doses, sobre o parasitismo de Colletotrichum sp. em mamões, na pós-colheita. Os isolados para a execução dos testes foram obtidos a partir de frutos sintomáticos coletados na CEASA da Ilha de São Luís, MA. Os ensaios consistiram em duas etapas. Na primeira, foi verificado o efeito direto do extrato sobre o fungo. Nesse sentido, foi realizado teste in vitro, para avaliação do efeito fungistático do produto. A segunda etapa observou se o extrato da alga tem potencial em induzir resistência em mamões. Assim, os frutos foram tratados com diferentes concentrações do produto, inoculados com o fungo e acompanhados diariamente para a observação da severidade das lesões formadas, nessa ocasião foram realizadas as análises de perda de massa. Ao final desse experimento, a polpa dos frutos foi retirada para análises químicas e as cascas foram retiradas, liofilizadas e destinadas às análises bioquímicas que consistiram em: conteúdo total de proteínas das parcelas, atividade das enzimas catalase, guaiacol peroxidase e polifenoloxidase. O extrato de A. nodosum, nos testes in vitro, não inibiu o crescimento micelial do fungo, porém as maiores doses usadas influenciaram negativamente na esporulação e germinação do patógeno. Embora o extrato não tenha apresentado efeito contra a severidade de Colletotrichum sp. nos frutos, apresentou efeito eliciador para peroxidase e polifenoloxidase, e também demostrou não influenciar na qualidade pós-colheita dos frutos e ainda retardou o processo de amadurecimento na dose de 1%, como revelado nas análises químicas
Descrição: 131 f. Dissertação (Mestrado em Agroecologia) - Universidade Estadual do Maranhão,São Luís,2019. Orientador: Prof. Dr. Fabrício de Oliveira Reis. Co-orientadora: Profa. Dra. Ilka Márcia Ribeiro de Souza Serra.
URI: http://repositorio.uema.br/jspui/handle/123456789/1470
Aparece nas coleções:MESTRADO EM AGROECOLOGIA

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO-LARISSE.pdf1.08 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.