Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.uema.br/123456789/474
Title: Condições socioeconômicas e degradação dos recursos naturais na zona rural de Vitória do Mearim
Authors: Fernandes, Rachel Torquato
Keywords: Agricultura Sustentável
Recursos Naturais
Pobreza Rural
Issue Date: 2-Sep-2005
Publisher: UEMA
Abstract: <p>Propõe-se nesta tese aferir os padrões de qualidade de vida da população rural no município de Vitória do Mearim, e avaliar o atual estágio de preservação/degradação da base de recursos naturais, identificando-se possíveis fatores que contribuíram com a dinâmica desse processo ao longo de aproximadamente 50 anos. Foram selecionados 14 povoados em localizações distintas, buscando-se com isso garantir o quanto possível a diversidade da amostra. Entrevistadas 136 famílias. As informações foram obtidas mediante a aplicação de questionários estruturados e entrevistas semi-estruturadas. A pesquisa revelou baixos padrões de qualidade de vida no meio rural; posseiros e arrendatários a condição da maioria dos agricultores; baixa renda familiar, tendo a agricultura como base da economia; forte pressão antrópica sobre os ecossistemas naturais para implantação de pastagens e de roças, e ausência de assistência técnica do Poder Público ao setor agrícola. Os cultivos agrícolas têm como objetivo produzir alimentos para o consumo da família. A mandioca é a cultura mais plantada com maior excedente de produção destinado à comercialização em mercados locais. A agricultura itinerante, como conseqüência das atividades de corte e queima, resulta na degradação dos recursos naturais, que é agravado com o aumento da densidade populacional e ausência de alternativas tecnológicas às práticas de corte e queima. Os impactos desse processo afetam negativamente a capacidade produtiva das terras, a produtividade das culturas, a renda das famílias, a qualidade de vida das pessoas, aprofundando os níveis de pobreza no meio rural. Para quebrar o ciclo de pobreza e a degradação dos recursos naturais, é necessário melhoria da qualidade de vida, através da geração de renda. As políticas devem estar voltadas para o potencial econômico produtivo da região como a pesca, o extrativismo e agricultura. Contudo é fundamental que tais políticas estejam ancoradas nas bases epistemológicas da Agroecologia que equaciona a viabilidade econômica e ambiental com justiça social. Tais medidas não terão efeito de forma isolada, mas, sim, fazendo parte de um contexto maior que contemple a Pesquisa, Educação Ambiental e a Extensão Rural.</p>
Description: <p>111p.: il.</p><p>Dissertação (Mestrado em Agroecologia) – Universidade Estadual do Maranhão, 2005.</p><p>Orientador: Prof. José de Jesus Sousa Lemos</p>
URI: http://repositorio.uema.br/123456789/475
Appears in Collections:MESTRADO EM AGROECOLOGIA
MESTRADO EM AGROECOLOGIA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
rachel torquato fernandes.pdf431.57 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.